Novidades

Cuidados com a calibragem dos pneus

Entenda a melhor forma de fazer a manutenção dos pneus
Calibragem de pneus (divulgação)

Mesmo em uma época tão anormal quanto essa que estamos vivendo, por conta da pandemia, é sempre importante manter a manutenção do seu carro sempre em dia. E um dos itens de segurança que geralmente acaba passando batido é a verificação da pressão dos pneus.

Calibragem de pneus (divulgação)

Sim, um dos itens que ocasionalmente são esquecidos pelos motoristas, acaba por ser um dos mais cruciais no veículo. Pois com a regulagem errada, os pneus podem fazer com que o veículo derrape e consequentemente acabe ocasionando um acidente.

Pensando nisso, montamos um pequeno guia com algumas dicas para você tomar nota sobre a calibragem dos pneus:

  1. Calibragem incorreta pode acarretar aquaplanagem:

É essencial verificar qual é a calibragem recomendada pelo fabricante para evitar que os pneus fiquem muito cheios ou vazios. Caso a calibragem seja feita de modo incorreto, ao passar por pisos molhados, o veículo passa a ter uma área de contato com o solo maior e assim os pneus empurram a água para frente causando a aquaplanagem.

  1. Baixa pressão pode danificar os pneus:

Pneus com baixa calibração ficam muito mais suscetíveis a danos internos, quando o veículo passa por buracos ou valas. Em alguns casos, pode ocorrer a formação de bolhas que quando estouradas, deixam os pneus inutilizáveis.

  1. Utilitários esportivos e picapes precisam de cuidados especiais na regulagem de pressão?

Sim, utilitários esportivos – SUVs – e picapes geralmente tem altura maior em relação ao solo do que modelos como hatches e sedans e merecem atenção especial na hora da regulagem dos pneus. O proprietário deve seguir as indicações do manual do veículo e colocar sempre a pressão correta, para que não ocorra danos no veículo. Por serem maiores, podem capotar ou perder a estabilidade com mais facilidade e essa condição se agrava se a pressão dos pneus estiver errada. Por isso, verifique sempre o manual do veículo e procure uma assistência técnica.

  1. Cuidado com a temperatura:

Ao chegar no posto, primeiramente abasteça ou lave seu carro – se for o caso. Somente depois calibre seus pneus, quando estiverem mais frios. Pois quando quentes, eles podem enganar o calibrador, pois a pressão do ar estará elevada ao passar para os pneus. O ideal é que você calibre em algum lugar próximo a sua casa, logo ao sair.

  1. Frequência de calibragem:

O recomendado é que os pneus sejam calibrados ao menos 1 vez por semana. Contudo, se você não costuma rodar muito, pode calibrar logo após abastecer seu carro. Assim, você consegue fazer a calibragem dos pneus numa frequência razoável e ainda obedecerá ao item acima, que trata da calibragem dos pneus frios. E quando surgir qualquer dúvida, sempre consulte o manual do proprietário.

  1. Ar escapando durante a calibragem:

Se ao calibrar os pneus você perceber que o ar está saindo, retire a mangueira do bico do pneu e coloque-a novamente. Isso irá evitar que o ar escape antes de chegar ao pneu. Por mais incrível que possa parecer o escape de ar acaba acontecendo com frequência e muitos usuários não recolocam a mangueira.

  1. Não deixe o estepe para trás:

Imagine que um de seus pneus furaram e você precisa pegar o estepe, e quando se der conta, o mesmo está murcho ou vazio. Isso poderia ser um grande problema, certo? Para que isso não ocorra, sempre que for calibrar os pneus, lembre-se do estepe e evite surpresas desagradáveis.

Você pode colocar três ou quatro libras a mais do que o indicado para seus pneus. Assim, já desconta o desgaste que ele terá por ficar sem uso.

  1. Faça sempre o rodízio de pneus:

Os rodízios são indicados para manter o desgaste dos pneus por igual, sempre em X. Assim, não afeta o balanceamento do veículo. Claro, que cada moledo conta com a indicação do fabricante e por isso é bom que esse serviço seja feito por um profissional. Com a calibragem correta e o rodízio dos pneus feito de maneira correta, você garante segurança ao dirigir e ainda aumenta a vida útil dos pneus.

  1. Cuidado com a baixa pressão dos pneus:

Uma calibragem com a pressão errada pode prejudicar gravemente os pneus, por exemplo: A durabilidade é reduzida em até 30%, pois aumenta o desgaste e a sobrecarga da banda de rodagem. Também há chances de deformação e aquecimento exacerbado, aumentando riscos de explosão dos pneus.

Outra consequência grave da baixa pressão de calibragem está no comprometimento da dirigibilidade do veículo. Com menos pressão do que o ideal a direção fica menos precisa, o que aumenta o risco de acidentes.

  1. Cuidado com a alta pressão dos pneus:

Da mesma forma que calibrar com uma pressão menor pode trazer danos ao pneu e a dirigibilidade, o excesso de pressão dentro do pneu também pode causar problemas. Muita pressão pode fazer com que haja menos aderência dos pneus ao solo.

Qual o risco da menor aderência? Vamos a um exemplo: Se precisar fazer uma frenagem de emergência nas estradas, pode perder a direção do veículo, principalmente em alta velocidade ou em curvas.

Eai, curtiu? Fique atento nessa e em muitas outras dicas para manter o seu carro em dia aqui com a gente.