Novidades

O que não pode ser esquecido na manutenção dos freios

Segurança depende da revisão de todos os componentes
Freio (divulgação)

Sem sombra de dúvidas, um dos itens de segurança mais importantes do seu veículo é o sistema de freios. Graças a ele é possível reduzir a velocidade ou parar o veículo, algo fundamental para a segurança do motorista,  passageiros e pedestres.

Como freios funcionam?

Mas antes de falar de como fazer a manutenção preventiva dos freios do seu carro, vamos falar de como eles funcionam em sua grande maioria. Eles transformam energia cinética do movimento do veículo em energia térmica, processo que acontece por meio do atrito das pastilhas com os tambores e discos de freios presos às rodas.

Freio Chevrolet Corvette (divulgação)

O grande causador de problemas fica por conta do excesso de calor gerado pelo atrito das pastilhas, que pode prejudicar o bom funcionamento dos freios.

Manutenção dos freios:

Os primeiros sinais que os freios não estão funcionando bem vêm dos barulhos na hora de frear ou dureza na hora de pressionar o pedal do freio. Caso esses sintomas apareçam, é recomendado procurar logo o mecânico para fazer uma boa revisão, ação importante para evitar um acidente.

Freio (divulgação)

Para evitar quaisquer problemas com os freios, o importante é sempre conferir o que diz o manual do proprietário – que tem todas as diretrizes de manutenção do seu carro – e seguir o planejamento de revisões estabelecidas pela marca. No geral, a recomendação é que sejam feitas manutenções periódicas nos freios a cada 10 mil km,  mas isso pode variar de acordo com as condições de uso do automóvel – se ele roda mais na cidade ou em estrada de terra, por exemplo – e também de conforme a exigência de cada fabricante

Os sinais podem vir de:

  • Ruídos fortes nos discos e pastilhas;
  • Dificuldade na frenagem;
  • Frenagem muito longa – pedal afunda demais;
  • Trepidações no pedal ou nas rodas;
  • Luzes de indicação no painel de instrumentos.

Listamos alguns dos problemas mais comuns que podem acontecer com o desgaste prematuro dos freios:

  • Desgaste das pastilhas

Entre todos os componentes do sistema de freios, as pastilhas são aquelas que se desgastam mais rapidamente. Isso porque elas são feitas de um material mais maleável do que as demais peças e o atrito exercido sobre os discos durante a frenagem faz com que fiquem finas com o tempo.

Pastilha de freio (divulgação)

As pastilhas devem ser trocadas sempre que apresentarem desgaste ou então se o motorista notar problemas ou dificuldade na hora de frear. Alguns carros mais modernos contam um sistema de alarme na pastilha de freio, onde um sensor alerta por meio de uma luz no painel quando o componente está comprometido.

  • Envelhecimento ou umidificação do fluido de freio

O fluido do freio é um componente que muitas vezes passa despercebido pelos motoristas na hora de fazer a manutenção. E como qualquer outro componente, merece muito atenção. O fluido de freio não segue a mesma frequência de troca do óleo lubrificante do motor, por exemplo,  mas também conta com um período de validade indicado pelo fabricante e que em média é de 2 anos.

Fluido de freio (divulgação)

Ao longo do tempo, o fluido de freio pode absorver umidade, o que reduz a capacidade de manter a temperatura estável. E quando perde suas propriedades, acaba prejudicando a resposta de frenagem. Outro cuidado importante é sempre utilizar o fluido indicado pelo fabricante do veículo (DOT 3, DOT 4, DOT 5.1, etc.). Caso o nível do reservatório esteja baixo, não é recomendado apenas completar o fluido; o correto é revisar o sistema e, se necessário,  trocar o fluido por completo. Também é fundamental evitar fluidos que estejam em embalagens sem lacre há algum tempo, pois a possibilidade de terem perdido a eficiência é muito maior.

  • Quebra do disco de freio

As pastilhas de freio entram em atrito contra o disco para frear o carro. Embora elas desgastem mais, isso não significa que os discos não apresentem esse problema. Eles também ficam mais finos com o tempo e podem chegar ao extremo de quebrarem.

Disco de freio (divulgação)

A quebra do disco de freio é uma situação muito delicada, porque o carro pode ficar incontrolável, já que as pastilhas perderão o apoio para frear o veículo. Durante a manutenção dos freios, existe a possibilidade de ser feita  uma retífica do disco e assim recuperar a superfície da peça,  retirando os pequenos sulcos formados com o tempo de uso. Mas essa operação não pode ser feita por muitas vezes, pois uma dose exagerada de retífica pode comprometer a espessura necessária para que o disco cumpra sua função. Cada modelo de veículo tem uma espessura mínima para o disco de freio, a qual sempre é indicada no manual do proprietário. Quando ele atinge ou está próximo do limite, precisa ser substituído. O ideal é sempre optar por peças indicadas pelo fabricante do veículo e nunca utilizar peças usadas ou produzidas por empresas não homologadas pelos fabricantes dos automóveis.

  • Ressecamento de mangueiras

O sistema de freios é composto por canos de cobre e mangueiras que transportam o fluido para que o freio funcione corretamente quando o pedal é acionado. Com o tempo as mangueiras ficam ressecadas  e precisam ser substituídas para evitar vazamentos.

Mangueira de freio (divulgação)

Os canos de cobre têm uma durabilidade maior. No entanto, se sofrerem algum impacto podem entortar ou apresentar fissuras. Por isso, na manutenção dos freios é preciso também verificar todo o sistema de canos e mangueiras para confirmar se estão íntegros. Lembrando que os vazamentos e danos aos canos e mangueiras fazem baixar o nível do fluido de freio, o que pode impedir o acionamento do sistema. Ambas situações são de risco e podem causar acidentes.

Quer entender um pouco mais? Confira outros detalhes em nosso vídeo!