Novidades

Quando trocar o elemento filtrante para aplicações hidráulicas?

Há quem considere um determinado número de horas, mas fabricantes recomendam avaliar indicador de saturação, item essencial nos filtros que indicam a vida útil do elemento filtrante.

Apesar dos setores de lubrificação e manutenção das indústrias, muitas vezes, sugerirem a troca do elemento filtrante após um determinado número de horas, esta não é a forma adequada e recomendada pelos fabricantes de filtros hidráulicos.

Alex Alencar, diretor técnico comercial da Engefluid e Wilson Oliveira, coordenador de produto da PoliFiltro, empresas associadas à Abrafiltros – Associação Brasileira das Empresas de Filtros e seus Sistemas – Automotivos e Industriais, explicam a diferença entre considerar um determinado tempo para troca em relação à correta aplicação do indicador de saturação. ”Ao ser atingido o limite recomendável pelo fabricante do filtro para a utilização do elemento filtrante hidráulico, o diferencial de pressão oferecido pelo elemento filtrante eleva-se até atingir a  abertura da válvula by-pass. Caso ocorra a abertura da válvula de by-pass antes do período recomendado para troca por tempo, todo fluido do sistema deixa de ser filtrado e nesse intervalo de tempo,  muitos contaminantes já estão em contato com os componentes do sistema. Ao contrário, também está errado, pois pode ocorrer do elemento filtrante ser trocado sem estar saturado, desperdiçando a vida útil total do elemento”, esclarecem.

De acordo com eles, alguns fatores podem ser responsáveis pela troca precoce de um elemento filtrante:

  • Dimensionamento do filtro:

Para cada projeto é realizado o dimensionamento do filtro hidráulico, no qual calcula-se o ∆p (bar) = perda de carga, considerando vazão de entrada, pressão de trabalho, grau de retenção, viscosidade cinemática, densidade, temperatura do fluido e temperatura ambiente. Informações essenciais para um dimensionamento correto.

  • Troca de viscosidade do óleo

Esse é outro fator comum que tem influência direta na troca precoce de um elemento filtrante, uma vez que a perda de carga (Δp) oferecida pelo elemento filtrante varia linearmente com a variação da viscosidade cinemática.
Exemplo: Óleo ISO VG 32 (32 mm²/s) para ISOVG 68 (68 mm²/s).

  • Reposição do óleo

Ao repor o óleo hidráulico num reservatório, seja por uma manutenção ou vazamento, obrigatoriamente é necessário transferir esse fluido utilizando uma unidade de transferência e filtragem móvel, para que não contamine o óleo existente no reservatório. E, posteriormente, é recomendado usar o mesmo equipamento para fazer a filtragem em recirculação contínua de todo o volume existente neste reservatório reduzindo assim a probabilidade de consumo prematuro dos elementos filtrantes existentes no circuito.

Com relação ao indicador de saturação do filtro hidráulico, também chamado de indicador de sujeira ou indicador de restrição, ressaltam que é essencial nos filtros, pois indicam a vida útil do elemento filtrante.

Entre os modelos, há indicador visual (manômetro – vertical ou horizontal e pino), indicador visual e elétrico e indicador elétrico.

A Abrafiltros realiza mensalmente e de forma presencial, Fóruns de Debates para o setor industrial, que discutem os caminhos e as diversas aplicações técnicas dos filtros nos mais variados segmentos. Vale ressaltar que seguindo orientações da OMS (Organização Mundial da Saúde) e do governo brasileiro, neste período de pandemia as atividades presenciais da associação estão suspensas, sendo direcionadas ao ambiente digital que hoje conta com o Programa Filtra Ação.

O programa é uma iniciativa da Abrafiltros e das Revistas Meio Filtrante e TAE. É aberto ao público e exibido às terças e quintas-feiras, através da plataforma ZOOM, sempre às 15h. A divulgação acontece nas redes sociais da Abrafiltros e das Revistas, como Facebook e Linkedin. Para participar, basta acessar o QRCODE e/ou link que estará presente nos materiais de divulgação de cada semana. O conteúdo na íntegra será divulgado pelo canal da TV Filtros no YouTube.