Novidades

Qual farol usar?

Saiba a diferença entre cada modelo e qual a sua utilidade na segurança do trânsito.
Selective focus point on Headlight lamp car

Você já deve ter ouvido falar na diferença entre os faróis de neblina, alto, baixo e LED, mas você sabe realmente qual a diferença entre eles? Pensando nisso, montamos um pequeno guia com as principais diferenças entre eles e quais os benefícios para o motorista. Confira:

Farol Baixo:

Como o próprio nome sugere, ele tem faixo de luz voltado para baixo para que não ofusque os demais motoristas, e segundo o Código Brasileiro de Trânsito, é necessário que o condutor mantenha acesos os faróis do veículo, utilizando luz baixa, durante a noite e durante o dia nos túneis providos de iluminação pública e nas rodovias públicas.

Farol Mitsubishi (divulgação)
Farol Mitsubishi (divulgação)

Segundo alguns especialistas, é importante utilizar o farol baixo até mesmo dentro das cidades, para que evitem pequenos acidentes, como em saídas de garagem de prédios e shoppings centers, onde as vezes um pedestre distraído ou um motorista desatento possa vir de encontro com o motorista saindo do local.

Farol Alto:

Diferente do modelo anterior, o farol alto tem como finalidade iluminar mais e sendo assim, ele normalmente tem o facho de luz voltado mais para cima. Mas isso também quer dizer que ele é mais potente e deve ser usado com cautela. Uma das recomendações, segundo o Código Brasileiro de Trânsito é utilizar o farol alto em vias públicas não iluminadas.

Farol Volkswagen Polo GTS (divulgação)
Farol Volkswagen Polo GTS (divulgação)

Mas em caso de cruzar com outro motorista, o correto é voltar para o faixo baixo de luz. Outro uso do farol alto é para avisar quando um motorista vem na direção oposta, sobre algum perigo na pista, ou quando há intenção de fazer alguma ultrapassagem. Mas conforme a lei, o uso deve ser moderado e não pode ser utilizado de modo contínuo, correndo o risco de causar acidente e levar multa.

DRL:

Mais modernos que os faróis alto e baixo, as lentes DLR – Daytime running lights – Faróis de Rodagem Diurna – passaram por muita burocracia antes serem utilizados em larga escala pelas montadoras. Eles foram criados para uso diurno, contínuo; que é acionado juntamente com o motor. Ele garante uma maior visibilidade, mesmo a luz do dia e torna a direção mais segura.

Chevrolet Onix RS (divulgação)

 

Lanternas ou Luzes de Disposição:

Mais conhecidas como lanternas, as luzes de disposição ficam na traseira dos veículos e tem por obrigação mostrar se o motorista decidiu parar o veículo, se ele está dando a seta para entrar em alguma rua e indicar quando o mesmo decide dar a marcha a ré.

Lanterna Bentley Bentayga (divulgação)
Lanterna Bentley Bentayga (divulgação)

Também serve para mostrar a outros motoristas, se o veículo vai descarregar alguma carga, ou vai fazer transporte de passageiros. Elas ainda podem utilizar LEDs na construção, o que ajuda na iluminação em locais com pouca ou nenhuma visibilidade, fora que o design fica mais harmonioso com as formas gerais do veículo.

 

Faróis de neblina e milha:

Apesar de ficarem basicamente no mesmo lugar, elas têm diferenças na sua utilização, que se não forem utilizadas de maneira correta podem causar acidentes. Os faróis de milha normalmente têm facho de luz bem mais potente e iluminam uma distância bem maior que os faróis altos.

Farol Volkswagen T-Cross (divulgação)

No caso dos faróis de neblina, os fachos de luz emitidos por eles são mais baixos e normalmente são mais voltados para o chão. São ideais para situações noturnas com bastante neblina. E para quem acredita que o uso dos faróis de neblina substitui os faróis baixos, esta informação não é verdadeira; inclusive pode provocar acidentes.

 

Dicas e prevenções:

Segundo algumas diretrizes, os faróis alto e de milha não são indicados para serem utilizados durante tempos nublado, como em serras por exemplo. Por ser basicamente um aglomerado de micropartículas de água, a luz será refletida, ao invés de ser focada num ponto só. Para esses casos, o correto é utilizar somente o farol de neblina.

E como sempre recomendamos, não tente instalar nenhum acessório sem ajuda de um profissional qualificado, e sempre leve o veículo para fazer as revisões periódicas. Quanto aos faróis, caso eles apresentem algum dano ou problema, consulte sempre um especialista, e busque sempre peças originais, ou similares recomendadas pela montadora.