Novidades

Vícios e hábitos ao volante que prejudicam a suspensão

Passar por lombadas na diagonal ou superar buracos em alta velocidade podem comprometer a vida útil do conjunto de suspensão

Ruas esburacadas, muitas lombadas e quebra molas, além de congestionamentos gigantescos. Essas características das vias brasileiras já seriam o suficiente para comprometer o conjunto da suspensão dos nossos carros. No entanto, há outros cuidados básicos para garantir vida longa aos componentes de suspensão, inclusive alguns hábitos muito prejudiciais. Para dar uma forcinha nesse quesito, a Monroe listou algumas dicas.

Mas antes é preciso entender o sistema de suspensão, basicamente formado por amortecedores, coxins, molas, bielas, batentes e bandejas. É o conjunto de suspensão que assegura a estabilidade e dirigibilidade geral do carro, além do conforto dos passageiros. Importante lembrar que, se um item do conjunto se desgasta e não é reparado, certamente vai comprometer outras peças.

“É importante fazer a revisão periódica de todo o sistema de suspensão regularmente, obedecendo os prazos de troca recomendados pelo fabricante. Há diversos fatores que prejudicam os amortecedores e as demais peças do sistema, e que podem passar despercebidos pelos proprietários”, alerta Juliano Caretta, Supervisor de Treinamento Técnico da DRiV.

Primeira dica: Alinhamento e balanceamento

A dica número um é manter alinhamento e o balanceamento do veículo em dia. Se isso não for feito, o primeiro resultado é o desgaste desigual e prematuro dos pneus, o que também compromete o conjunto de suspensão, principalmente os amortecedores.

Segunda dica: Passar em lombadas na diagonal

Normalmente, as pessoas passam em lombadas na diagonal. Olha, isso não é bom. A forma correta de superar as lombadas ou valetas é com o carro em linha reta. Passar por estes obstáculos na diagonal gera forças laterais na movimentação dos componentes, o que pode acarretar folgas, ruídos, empenamentos e, em situações mais graves, o travamento total das peças. Por isso, é fundamental passar em velocidade reduzida.

Terceira dica: Trafegar por ruas esburacadas

A terceira dica pode ser difícil de evitar, mas se você conseguir evitar vias esburacadas ou estradas de terra muito acidentadas, não irá correr o risco de provocar o desgaste prematuro dos amortecedores. Já para quem enfrenta rotineiramente  ruas e estradas com muitos buracos, certamente terá que antecipar o prazo de troca das peças. Para saber se há problemas com o conjunto de suspensão do seu automóvel, fique atento a sinais como perda de estabilidade em curvas, ruídos, balanço excessivo ou falta de contato dos pneus com o solo, quando o pneu grita com facilidade em manobras normais.

Quarta dica: Exceder o limite de carga do veículo

Carregar muito peso também gera problemas aos componentes da suspensão. Para saber se está levando muito peso, basta conferir os limites de carga do veículo no manual do proprietário. Extrapolar o peso limite compromete a dirigibilidade e o conforto, o que coloca todos os passageiros em risco. Também é importante distribuir o peso de forma equilibradas no porta malas.

Quinta dica: Tempo de manutenção

O amortecedor, como todas as peças do conjunto de suspensão, também tem um prazo de validade. Em condições normais de utilização, a Monroe recomenda verificar os amortecedores a cada 10 mil quilômetros. A substituição das peças é indicada, de forma preventiva, para veículos que atingirem aproximadamente 40 mil quilômetros rodados, ou que apresentem problemas no componente. Além de realizar a troca dos amortecedores, é importante também substituir  o coxim com rolamento, batente e coifa.